Ex-gerente afirma que informou irregularidades pessoalmente à presidente da Petrobras

0 Flares 0 Flares ×

Revelação foi divulgada em entrevista no programa Fantástico, da TV Globo

A ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca afirmou que informou pessoalmente à presidente da estatal, Graça Foster, sobre irregularidades em contratos da companhia. A revelação foi divulgada em entrevista no programa Fantástico, da TV Globo.

Em um desabafo emocionado, Venina também fez um apelo aos funcionários da Petrobras para denunciem fraudes que tenham presenciado na empresa. Conforme a ex-gerente, as irregularidades teriam sido percebidas em 2008 e, desde então, ela teria começado a alertar seus superiores sobre problemas de diversos tipos, desde “pagamentos por serviços não prestados, contratos que aparentemente estavam superfaturados e negociações feitas em que eram cobradas comissões para as pessoas que estavam negociando”

veninna graça

Venina Velosa da Fonseca e Graça Foster

 

– Eu estive com a presidente (Graça Foster) pessoalmente, quando ela era diretora da área de Gás e Energia. Naquele momento nós discutimos o assunto, foi passado uma documentação pra ela sobre o processo de uma denúncia na área de comunicação — afirmou Venina na entrevista.

A ex-gerente-executiva da diretoria de Refino e Abastecimento, que está afastada da empresa, foi ouvida na sexta-feira pela força-tarefa da Operação Lava-Jato, em Curitiba, e reafirmou as denúncias sobre desvios de R$ 58 milhões pagos por serviços que não teriam sido realizados.

Na entrevista veiculada no domingo, Venina também voltou a falar sobre um encontro que teria tido com o então diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa. A ex-gerente afirmou que teria apresentado as denúncias à Costa, que teria se irritado com as acusações.

— Eu cheguei na sala dele e disse, aqui é só uma amostra do que esta acontecendo nessa área. (…) Ele ficou extremamente irritado, apontou pra foto do presidente Lula, pra sala do presidente (Sérgio) Gabrielli, e perguntou: “você quer derrubar todo mundo?” — relatou Venina.

Costa, que chefiou a diretoria de Abastecimento de 2004 a 2012, assinou um acordo de delação premiada com a Justiça para contar o que sabe em troca de uma possível redução de pena.

Emocionada, a ex-gerente chorou ao falar sobre ameaças que ela e suas duas filhas teriam recebido. Ela afirmou ainda que o objetivo da diretoria da Petrobras ao transferi-la para o escritório em Singapura era abafar suas denúncias.

— A opção que eles fizeram foi me mandar para o lugar mais longe possível, onde eu tivesse o menor contato com a empresa — afirmou.

Venina ainda disse que irá “até o fim” nas acusações de irregularidades na estatal e fez um apelo aos funcionários da Petrobras:

— Eu tenho medo, eu tenho medo, mas eu não vou parar. Eu espero que os empregados da Petrobras criem coragem e comecem a reagir, porque tenho certeza que não fui só eu que presenciei. Eu vou até o fim e estou convidando vocês para irem também.

 

Fonte: Rede Globo/ * Zero Hora

MAIS RECENTES

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
Autor: Direto da Redação
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *