Morte de universitária, namorado que confessou o crime

0 Flares 0 Flares ×
A Polícia Civil de Pernabuco (PCPE) confirmou que o corpo encontrado no início da tarde deste sábado (23) era, de fato, o da estudante de pedagogia da UFPE Remís Carla, de 24 anos, que estava desaparecida há seis dias.

O cadáver foi encontrado por volta das 14h, mas a identificação do corpo, que estava em avançado estado de decomposição, só foi possível após as perícias realizadas através do Instituto Médico Legal (IML) e pelo reconhecimento de familiares, que, em um primeiro momento, não chegaram a ir até o local onde o corpo foi achado enterrado em um terreno situado no bairro da Caxangá.

A cerca de 400 metros do terreno onde o cadáver foi localizado, reside o namorado da estudante de pedagogia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o ajudante de pedreiro Paulo César de Oliveira Silva, de 25 anos. De acordo com a polícia, ele confessou o assassinato.

Declarações de pessoas próximas ao casal indicam que o relacionamento entre Remís e Paulo era considerado abusivo por amigos, para quem ela chegou a confessar, recentemente, ter sido vítima de agressões.

Na última sexta-feira (22) A PCPE negou a designação de um delegado especial para investigar o caso do desaparecimento da estudante, que havia sido solicitado por ofício pelo reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, no começo da noite do mesmo dia. Além de negar o pedido, a PCPE decidiu por impor sigilo nas investigações, privando o acesso da Imprensa a informações até a conclusão do inquérito.

De acordo com a Polícia, a investigação ficaria sob sigilo “para não atrapalhar as investigações”. A justificativa para negar a designação de um delegado especial é a de que o delegado Élder Tavares, responsável pela investigação, é um delegado especial que está à frente da Delegacia de Desaparecidos e Proteção à Pessoa (DDPP).

Namorado preso 
O namorado da estudante Remís Carla, até então tido como principal suspeito de envolvimento no seu desaparecimento, foi preso pela Polícia Civil no final da tarde deste sábado (23). O pedreiro Paulo César, 25, estava no município de Vicência, na Zona da Mata Norte, e foi transferido para o DHPP, no Recife, onde confessou a autoria do crime.
Entenda o caso
A  estudante de Pedagogia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) estava desaparecida desde o domingo (17).  Remís Carla, 24 anos, foi vista pela última vez no bairro da Caxangá, na Zona Oeste do Recife, após ter discutido com o namorado e sair da casa dele sem dar informações para onde iria. O nome do homem não foi divulgado.
Segundo a mãe da jovem, Rosinete Maria, ela e a filha moravam juntas em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Nos finais de semana, a moça costumava ir para a casa do namorado, no bairro da Caxangá. As informações que a família tem sobre a universitária até o momento do desaparecimento foram fornecidas pelo namorado de Remís. Ele afirmou que eles haviam discutido e, em seguida, ela saiu do local. De acordo com a família e amigos, o casal já havia morado juntos e que brigavam entre si frequentemente.
Na última quinta-feira (21), o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, enviou oficio à Polícia Civil solicitando a designação de um delegado especial para investigar o caso de desaparecimento da estudante. A PCPE negou o pedido, além disso, decidiu por impor sigilo nas investigações, privando o acesso da Imprensa a informações até a conclusão do inquérito.
Confira, na íntegra, a nota divulgada pela Polícia Civil de Pernambuco 
A Secretaria de Defesa Social, através da Polícia Civil de Pernambuco prendeu em flagrante, na noite deste sábado (23/12), o ajudante de pedreiro Paulo César de Oliveira Silva, de 25 anos. O mesmo confessou ter assassinado a namorada, a estudante de pedagogia Remís Carla da Costa, de 24 anos, que estava desaparecida desde o último domingo (17/12). O  corpo foi localizado pela Polícia Civil nesta manhã, no bairro da Caxangá. O Chefe da Polícia Civil, Delegado Joselito Kehrle, o Diretor de Polícia Especializada, Delegado Luís Andrey e o Gestor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Delegado Ivaldo Pereira, apresentam os detalhes sobre este caso, às 10h deste domingo (24/12), no auditório do DHPP, na Rua Doutor João Lacerda, bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. 

Diário de Pernambuco

Barrancas Seu Portal de Notícias

Avalie esta postagem

MAIS RECENTES

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
Autor: redação
Tags

Notícias relacionadas

Comentários no Facebook