Nota de Repúdio da Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas (AOPBMAM)

A Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas (AOPBMAM) vem REPUDIAR a atitude leviana e precipitada publicada em nota pelo Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Amazonas (Sindepol/AM) nos diversos meios de comunicação local a respeito da ocorrência policial registrada na madrugada do dia 14 de fevereiro no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), envolvendo os empresários Eduardo Nogueira Back, 26, Yuri Andrade Czovny, 25, e mais Miguel Ângelo Lopes da Silva, 24.

IMG-20150216-WA0009

Os fatos narrados pelo oficial da Policia Militar traziam a verdadeira versão dos fatos, e o que verdadeiramente ocorreu na hora da prisão, ou seja, os dois suspeitos tinham em sua posse um tablete de droga e algumas outras porções, totalizando mais de 1 kg. Coube a delegada responsável decidir por não fazer o flagrante de Carlos e Yuri por entender que se tratava de “consumo” já que haviam ido comprar a droga. Ressalta-se que a quantidade encontrada com os acusados foi individualizada, mesmo assim a autoridade pendeu pelo TCO. Os policiais militares cumpriram o seu papel efetuando a prisão, já que combater o tráfico é um dos objetivos da política pública da nova equipe da Secretaria de Segurança do Amazonas, e isso os policiais estavam buscando.

Destacamos que o Código de Processo Penal prevê que cabe ao delegado o poder de analisar cada caso e decidir pela tipificação mais adequada ao fato a ele apresentado.
Ressaltamos que se houve erro foi por parte da autoridade policial judiciária e não dos policiais que narraram a verdade, mas reiteramos que a autoridade analisou e entendeu que a droga encontrada com os empresários caracterizava apenas TCO.

Tal tipo de decisão por parte da autoridade de policia judiciária, muitas das vezes já foi diferente em diversas ocorrências apresentadas pela PMAM, mesmo com todos elementos apresentados. Motivo esse que não justifica a autoridade alegar que foi “induzida” pela equipe da PMAM ao erro.

Acreditamos na Justiça para todos e desejamos que o caso seja apurado pela Corregedoria- Geral e Ministério Público do Estado,como forma de esclarecer à sociedade a realidade dos fatos.

A Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas estará sempre atenta e vigilante para agir em defesa de seus associados e da sociedade, sempre em busca da justiça.

Manaus, 15 de Fevereiro de 2015

Emerson Figueiredo dos Santos – Major PM
Presidente da AOPBMAM

 

 

 

MAIS RECENTES

Autor: Direto da Redação
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *