Operação Sólon Polícia Fecha Casas de Prostituição em Humaitá

POLÍCIA CIVIL DEFLAGRA OPERAÇÃO SÓLON E FECHA TODAS AS CASAS DE PROSTITUIÇÃO EM HUMAITÁ, NO SUL DO AMAZONAS

Na noite de ontem, 30 de janeiro, equipes da Delegacia Interativa de Humaitá, coordenadas pelo Delegado Marcus Rezende, com o apoio da Polícia Militar, fecharam quatro casas onde, por trás da aparência de bar, seus proprietários exploravam a prostituição. Nos “bares” Faculdade no Grau, Beijo na Boca, Galo Barbudo e Bar da Chácara, foram encontradas várias mulheres da cidade de Porto Velho, se prostituindo nas referidas casas.

operação3

“Vínhamos recebendo várias denúncias de que nesses locais haviam comércio de entorpecentes e prostituição e ao diligenciarmos nos supostos bares, realmente confirmamos as denúncias”, disse o Delegado Marcus Rezende.

Segundo a Autoridade Policial, ao chegarem na “Faculdade No Grau” e entrarem em um dos quartos, flagraram um casal durante a prática sexual. No “Bar da Chácara”, um dos frequentadores bebia e usava cocaína, enquanto ouvia música e aguardava a chegada das mulheres.
Segundo o Delegado, o que mais preocupa é o aliciamento de menores que está ocorrendo na cidade de Humaitá.

operação2

 

“Estou cansado de receber pais chorando em meu gabinete. Suas filhas, menores com idades entre 14 e 16 anos, estão sendo cooptadas pelos proprietários desses estabelecimentos, com propostas de altos ganhos. Além disso, iniciam essas crianças no mundo das drogas. Que futuro teremos?”, disse consternado Marcus Rezende.

 

operação4
Durante a operação, as equipes apreenderam quatro motocicletas em situação irregular e foram presos Michel Ramos Silva Teixeira, de 28 anos; Nayara Hyury Marinho de Castro, de 29 anos; Deize Lucide Pinto de Castro, de 36 anos; Tatiele Oliveira dos Santos, de 22 anos; Manoel dos Santos de Souza, de 31 anos e Miguel Brito de Ramos, de 29 anos, os seis proprietários das casas, todos pela prática do crime de Rufianismo, que é tirar proveito da prostituição alheia, previsto no Artigo 230, do Código Penal.
O nome da operação veio da Grécia antiga. Em Atenas, era atribuída a Sólon a criação de bordéis com preços regulados.

Autor: Direto da Redação
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *