Os Procuradores da Lava Jato, se sentem enganados pela nova procuradora

Raquel Dodge,escolhida por Temer para o lugar de Janot, descumpre acordo público.

A nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, mal entrou no cargo e já criou uma polêmica depois de descumprir um compromisso público de manter procuradores da Operação #Lava Jato que quisessem permanecer na Procuradoria-Geral da República (PGR), após a saída de Rodrigo Janot.

Ela excluiu dois procuradores que sempre se destacaram na Lava Jato: Rodrigo Telles e Fernando Antonio de Alencar. Eles queria muito ficar e seus conhecimentos são de grande importância para a operação. Raquel confirmou que eles poderia sim ficar e de repente surpreendeu com a decisão de mandá-los embora.

Telles é um dos principais procuradores e está por dentro de todas as investigações.

Ele teve um grande destaque ao comandar uma forte investigação que encontrou indícios criminosos no senador José Agripino, presidente do DEM e um dos homens de confiança de Michel Temer.

Agripino foi acusado de pedir propina de cerca de R$ 1 milhão para empresário que era tinha esquema de contratos com o #Governo do Rio Grande do Norte. O caso ainda está sob sigilo por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

Colocou um sócio do Gilmar Mendes na PGR

Raquel Dodge colocou Paulo Gustavo Gonet Branco à frente da Secretaria da Função Constitucional da PGR.

É sócio de Gilmar Mendes no IDP.

Incomodação de Agripino
O senador ficou irritado com as investigações de Telles e pediu para Janot que tirasse ele da PGR. Janot recusou e o manteve no cargo. Raquel Dodge decidiu nomear como seu vice, Luciano Maia, por incrível que pareça, primo de Agripino.

Telles pode ter sido enganado por Raquel Dodge. Ela disse que mesmo com o seu vice sendo primo de Agripino, ele poderia ficar tranquilo que permaneceria como integrante do grupo da Lava Jato.

O procurador continuou firme seus trabalhos e tomou mais uma ação contra o senador, denunciando Agripino ao STF, suspeito de ter recebido propina da construtora OAS. Em todos os avanços contra a corrupção cometida pelo senador, aliado de Temer, Telles foi decisivo e participou de tudo.

O novo coordenador da Lava Jato, José Alfredo de Paula, escolhido por Raquel, confirmou aos procuradores o afastamento deles e o motivo ficou no ar. Ele disse para Telles, que havia resistência ao seu nome.

 

fonte:newsatual

Barrancas Seu Portal de Notícias

MAIS RECENTES

Autor: redação
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *