Polícia prende Nestor Cerveró no RJ por corrupção e lavagem de dinheiro

Ex-diretor da Petrobras foi preso ao desembarcar no Aeroporto Internacional. MPF considera que há indícios de transferência de bens para parentes.

O ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, foi preso no início da madrugada no Aeroporto Internacional do Rio. Ele é acusado de crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.

O voo vindo de Londres chegou ao Rio pouco depois da meia noite. Nestor Cerveró foi preso por agentes da Polícia Federal antes de chegar ao saguão de desembarque. Assim que saiu do avião, ele foi conduzido por agentes para uma sala da Polícia Federal.

O Ministério Público Federal pediu a prisão preventiva de Cerveró por considerar que há fortes indícios de que ele continua a praticar crimes, como a transferência de bens para o nome de parentes.

De acordo com os promotores, logo após ser denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro, em dezembro, o ex-diretor da Petrobras tentou transferir R$ 500 mil para a filha. Ainda segundo o Ministério Público, Cerveró transferiu três apartamentos, comprados com recursos de origem duvidosa, em valores nitidamente subfaturados.

Os promotores afirmam que há evidências de que os imóveis têm valor de mais de R$ 7 milhões, mas que a operação de transferência foi declarada por apenas R$ 560 mil.

Nestor Cerveró entrou na Petrobras em 1975. Foi diretor da área internacional de 2003 a 2008, durante o governo Lula. Já no governo Dilma, assumiu a diretoria financeira da Br-Distribuidora, onde permaneceu até ser demitido do cargo, em março do ano passado.

Segundo o Ministério Público Federal, o ex-diretor recebeu propina, em dois contratos, para construção de navios sonda, usados em perfurações em águas profundas. O pagamento, no valor total de 40 milhões de dólares, foi relatado pelo executivo Júlio Carmago, da Toyo Setal, que fez acordo de colaboração com a Justiça.

O ex-diretor da Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também citou Cerveró, no acordo de delação premiada. Em depoimento à Justiça Federal do Paraná, em outubro, Paulo Roberto disse que Cerveró recebeu propina na compra da refinaria da Pasadena, nos Estados Unidos. Segundo o Tribunal de Contas da União, o negócio gerou prejuízos de setecentos e noventa e dois milhões de dólares.

A compra de Pasadena foi aprovada, em 2006, pelo conselho de Administração da Petrobras, na época, presidido por Dilma Rousseff. Segundo a presidente, o resumo executivo que orientou o conselho e que foi produzido por Cerveró, era falho. Em julho, o TCU responsabilizou Cerveró e outros nove diretores e ex-diretores da Petrobras pelos prejuízos gerados pela compra de Pasadena.

No início desta madrugada, em entrevista à Globonews, o advogado de Nestor Cerveró, Edson Ribeiro, se disse surpreso com a prisão.

“Nestor Cerveró viajou para o Rio de Janeiro para prestar depoimento junto ao Ministério Público Federal e para ser citado na ação penal que tramita em Curitiba. Eu não conheço a fundamentação da prisão preventiva, mas desde já, estranho essa prisão, até porque tanto a Polícia Federal quanto o Ministério Público Federal foram por mim informados não só da viagem, mas do endereço onde Nestor Cerveró ficaria na Inglaterra, e a Polícia Federal também estava informada, tanto da sua viagem como que ele nao tem motivo algum para se furtar a eventual aplicabilidade de uma condenação penal. E eu estou indo para a Curitiba amanhã pra conhecer todos os fatos, olhar o processo e ver as providências que eu tomarei a partir de agora”.

Mais tarde, o advogado de Cerveró disse, em nota, que a prisão preventiva não tem fundamento e que não havia restrição judicial à transferência de bens a parentes.

Cerveró permanece no aeroporto do galeão e deve ser levado pela Polícia Federal para Curitiba num voo comercial, agora de manhã.

Ontem, o Ministério Público Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa de Cerveró e de parentes do ex-diretor da Petrobras.

 

 

Fonte: G1

Notícias Relacionadas

Autor: Direto da Redação
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *