1º Festival do Tambaqui da Amazônia agita Esplanada dos Ministérios

Evento chama a atenção do brasileiro para a produção e estímulo ao consumo do peixe regional

A Esplanada dos Ministérios foi tomada ontem pela manhã por uma multidão que ocupou o gramado do local. Mas, desta vez, não era em prol de uma manifestação política contra ou a favor de um governo ou de uma causa. Em frente ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a concentração era para comer peixe assado na brasa, em ocasião do 1º Festival do Tambaqui da Amazônia, uma promoção do governo e criadores de peixe de Rondônia, com apoio do governo do Distrito Federal e da Secretaria Nacional de Aquicultura de Pesca/Mapa.

Sete toneladas ou 4,5 mil bandas de tambaquis foram distribuídas à população que tinha de doar um ou mais quilos de alimentos para ter direito ao “almoço amazônico”. Foi um sucesso. Houve até reclamação porque as senhas distribuídas terminaram em menos de uma hora.

“Esse evento chama a atenção do brasileiro para a produção desse peixe amazônico, que pode ser produzido em todas as regiões. Temos um potencial muito grande e vamos elaborar um projeto para trazer aos nossos produtores rurais o incentivo à criação de tambaqui em Brasília, dando oportunidade de mais renda a esses produtores” disse o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Segundo o secretário nacional da pesca, Jorge Seif Júnior, o objetivo do evento foi incentivar o maior consumo e os produtores de peixes porque o Brasil, hoje, é um grande importador de pescado. “Importamos mais de U$ 2 bilhões por ano e só exportamos cerca de RS 200 milhões. O brasileiro conhece o salmão do Chile, o bacalhau da Noruega, o pangacius do Vietnã e não conhece essa preciosidade, um produto 100% nacional que é o tambaqui da Amazônia”, disse Jorge Seif.

O viés ecológico e sustentável do tambaqui também foi exaltado no festival gastronômico. O secretário estadual de Agricultura de Rondônia, Evandro Padovani, lembrou que o peixe cultivado não é retirado da natureza (somente as matrizes), não tem hormônios nem antibióticos; é 100% saudável.  O estado de Rondônia é o maior produtor de pescado nativo (em cativeiro) do país, com 15 mil hectares de lâmina de água de tanque escavado. No estado, são 4.380 propriedades que trabalham na área da piscicultura, produzindo 95 mil toneladas de peixes por ano, entre tambaqui (75% da produção), pirarucu e outras espécies.

“Queremos ampliar as nossas exportações tanto no mercado nacional, onde temos São Paulo como o maior comprador, seguido do Distrito Federal, assim como o mercado internacional como os Estados Unidos, China, União Europeia e países da América do Sul”, declarou Padovani.

Na noite de terça-feira (6), um jantar que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, embaixadores desses países também conheceram e provaram o sabor do tambaqui da Amazônia.

Amazonas coadjuvante

Presente ao lançamento do 1º Festival do Tambaqui da Amazônia, em Brasília, e citado pelo governador do GDF, Ibaneis Rocha, como um dos maiores produtores de pescado do estado do Amazonas, o empresário e criador de peixes Aciole Castelo Branco, da Agropec Taj Mahal, lamentou o fato de o Amazonas não estar protagonizando esse evento. “Toda a nossa extensão de água, o potencial hídrico fantástico que temos não é justo que hoje o Amazonas seja um grande importador de peixe de Rondônia e Roraima. Principalmente para nós, que trabalhamos nesse ramo há 22 anos e que saímos na frente desse processo. Acho que falta uma pegada mais forte, mais investimentos, incentivos e uma ação de governo mais contundente, mas acho que isso vai acontecer agora, com o nosso governador (Wilson Lima) que demonstrou disposição para alavancar o potencial da piscicultura do nosso estado”, declarou Aciole Castelo Branco.

Para ele, com os incentivos e investimentos necessários, o Amazonas poderá vir a ser o maior produtor de pescado do país. Hoje, o estado ocupa a terceira ou quarta posição do setor.

O empresário contou que a Agropec Taj Mahal ia fazer parte do projeto do 1º Festival de Tambaqui da Amazônia, mas o governo de Rondônia já havia iniciado o processo junto ao Ministério da Agricultura e não houve tempo hábil para participar: “Esperamos que em 2020 os produtores de peixe e o governo do Amazonas façam parte dessa festa”.

No Guiness book

O Festival do Tambaqui da Amazônia poderá entrar para o Guiness Book como o maior evento de doação de pescado do mundo. O governo do Distrito Federal anunciou ontem que pretende realizar o evento todos os anos em Brasília e fez o convite formal ao governo e aos piscicultores não somente de Rondônia, mas de todos os estados amazônicos que produzem pescado.

https://www.acritica.com

Continue lendo
Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com