Assalto no Amazônia Golf Resort

Homens armados invadiram Amazônia Golf Resort na noite de sábado (8).
Casal contou como hóspedes tiveram que se esconder de tiroteio.

Duas vítimas do assalto ocorrido na noite de sábado (8) no Amazônia Golf Resort, localizado na Rodovia AM-010, que liga Manaus a Itacoatiara, falaram sobre o ocorrido ao G1. O casal, que preferiu não se identificar, reclamou da falta de segurança no resort. “Foram 20 minutos de pavor”, concordaram. O titular da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), Sérgio Fontes, disse que os suspeitos devem ser presos em breve.
O assalto ocorreu por volta das 19h. Segundo as testemunhas, houve troca de tiros no local entre os bandidos e policiais que estariam hospedados no resort. Em nota, o hotel disse que um funcionário chegou a ser feito de refém na ação.

hospedeJuntos há cinco anos, o casal, que é de Fortaleza, decidiu reservar um quarto pela primeira vez no resort depois de uma busca na internet. Segundo eles, este fim de semana deveria ser uma comemoração do tempo em que estão juntos. “Também seria a nossa folga depois de uma semana de trabalho. Gostamos da estrutura do local e do atendimento. Era algo diferente e bonito, tinha várias atividades. Quando chegamos, por volta das 15h30, fomos bem recebidos, passamos a tarde na piscina e estava tudo indo bem”, disse o homem de 34 anos.

Ele contou que quando o casal decidiu ir na recepção para obter a senha do Wi-Fi, no início da noite, um homem moreno e alto, usando um boné, anunciou que estava acontecendo um assalto. “Ele disse para não nos preocuparmos que eles não iam matar ninguém, só queriam as joias e os relógios. Eu até ri e continuei andando, foi aí que ele puxou a arma e nos deitamos no chão”, relatou.
De acordo com o casal, no momento em que estavam rendendo os hóspedes e funcionários, os suspeitos descobriram que policiais estavam hospedados no resort, o que deu início ao tiroteio. “Foram 20 minutos de pavor. Quando descobriram que tinha policial, eles gritaram que ia ter morte. Pra fugir dos tiros, nós e mais alguns hóspedes fomos, abaixados, para uma pequena sala perto da recepção e ficamos lá. Não tinha como trancar a porta, podia acontecer de levarmos um tiro ou nos pegarem como refém. Mas, graças a Deus, nada aconteceu”, contou o homem. Após os 20 minutos de tiroteio, um dos policiais que estariam no local informou aos hóspedes que estavam escondidos que a situação havia se normalizado.

“Muitas pessoas estavam desesperadas, pois estavam longe de seus filhos que estavam na área de recreação. Gritavam por eles e para que os assaltantes não fizessem nada. Houve um momento em que os bandidos gritaram que iam pegar reféns para fazer de escudo e pessoas contaram que chegaram a pegar um garçom. Foi tudo muito traumático”, lembrou.

O casal informou que dois homens estavam armados, mas testemunhas no local contaram dez suspeitos. “Pessoas disseram que eles conseguiram fugir assaltando carros de hóspedes que acabavam de chegar no local e depois fugiram pela estrada. Há também informações de que eles estavam lá hospedados e estavam observando como fariam o assalto. Três homens suspeitos estavam na piscina perto da área das crianças”, disse o homem.
Quando perceberam que a situação estava sob controle, as vítimas se uniram para fazer um comboio de carros para voltar a Manaus.”Eu não ia mais ficar no local, mas não sabíamos o que fazer. Disseram que ia ter escolta policial, mas estava demorando muito. Foi então que combinamos esse comboio e voltamos todos em segurança para Manaus”, revelou o casal.

Trauma e Frustração
O casal contou que pagou cerca de R$ 600 pela hospedagem do fim de semana e que o valor não corresponde à segurança oferecida no local.
“É um local com uma estrutura muito boa, mas que não oferece nenhuma segurança, não tinha segurança armada. É um local propício para esse tipo de ação, não tem sinal de celular, é no meio da estrada. Eles deviam pensar na segurança dos clientes. Fortaleza é uma cidade bem violenta, onde estou o tempo todo alerta. Ainda não pensava assim de Manaus, mas agora também não consigo relaxar” disse a esposa, de 34 anos.
Segundo o casal, o hotel deve oferecer alguma explicação aos clientes sobre o ocorrido.”Eu vou entrar em contato com o meu advogado para saber o que fazer no caso. Paguei uma quantia considerável e só tive prejuízo. Espero que eles tomem medidas de segurança. Jamais me hospedo lá novamente”, afirmou o homem.

Polícia

Secretário da SSP-AM comentou ocorrido (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)
Secretário da SSP-AM comentou ocorrido (Foto:
Adneison Severiano/G1 AM)

O secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), Sérgio Fontes, informou que a Secretaria de Inteligência foi ao local para analisar o local do crime.
“Acredito que em breve vamos ter um resultado, já temos algumas pistas e vamos pegar os suspeitos. Porém, quero ressaltar que um empreendimento daqueles, no meio da estrada, deveria oferecer o mínimo de segurança ao seus clientes. Eles não têm seguranças armados. Os suspeitos entraram como hóspedes, viram que era fácil e agiram. Se não tivesse policial no local, seria pior’, disse.
Segundo nota da Polícia Civil, após contato com a delegacia de Rio Preto da Eva, foi informado que o proprietário do referido hotel não compareceu a unidade policial para registrar o boletim de ocorrência (B.O) e que as investigações só podem ser iniciadas quando houver o registro da ocorrência. De acordo com a nota, possivelmente, as investigações irão iniciar na segunda-feira (10).
Resort
Em nota, o Amazônia Golf Resort informou que foi vítima de uma ação criminosa por indivíduos que se infiltraram como hóspedes e que a ação foi frustrada sem que houvessem feridos. A nota também informa que um dos colaboradores do resort foi feito refém e libertado a poucos quilômetros do local.
O G1 tentou entrar em contato com a direção do resort para falar sobre a possibilidade de medidas de segurança e ressarcimento, porém, até o fechamento desta reportagem, não obteve resposta.

“O Amazônia Golf Resort, em respeito aos clientes, amigos e toda a sociedade amazonense, vem a público informar que foi vítima de uma ação criminosa promovida por indivíduos que se infiltraram entre os hóspedes do hotel com o intuito de assaltar o estabelecimento.
A ação foi frustada sem que houvesse feridos entre os hóspedes. Um de nossos colaboradores foi feito refém e libertado a poucos quilômetros do resort, ele está bem e toda a assistência necessária está sendo prestada.
Certos de que o ocorrido se trata de um fato isolado, reiteramos nosso compromisso com a segurança de nosso hóspedes, clientes e frequentadores, buscando sempre a melhoria em nossas ações de prevenção e segurança do hotel”.

 

 

Fonte: G1

 

Barrancas Seu Portal de Notícias

Continue lendo
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com