Bombeiros reforçam ações para combate a queimadas no estado do AM

Só no mês de julho, o Corpo de Bombeiros atendeu a 79 ocorrências relacionadas a queimadas em Manaus e Humaitá

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), entre janeiro e julho, o Amazonas teve 1.699 focos de calor, 80% deles registrados em julho, quando iniciou o período de estiagem. A previsão é que a seca se prolongue até dezembro.

Responsável por atender às ocorrências operacionais, especialmente incêndios florestais, o Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente do Corpo de Bombeiros vem intensificando ações visando prevenir e combater as queimadas, conforme o comandante da unidade, major Americo Neto.

O trabalho é realizado de maneira integrada com outros órgãos, como a Sema, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), a Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (Dema), da Polícia Civil, por exemplo.

Utilizados no trabalho de resgate de vítimas perdidas em selva, os drones estão sendo empregados para mapear áreas da capital amazonense que são consideradas foco de incêndios pelo Corpo de Bombeiros. Ainda segundo o major, existem trabalhos integrados de prevenção.

“A gente utiliza os drones quando está na queima para mapear a área e verificar a melhor forma de combater. E os trabalhos de prevenção são feitos o ano todo, juntamente com órgãos estaduais de meio ambiente, em escolas, por meio de panfletos, palestras e outros meios”, disse.

Em outra frente, o Corpo de Bombeiros desenvolve um projeto social com crianças e adolescentes, priorizando a prevenção das queimadas e de outros crimes contra o meio ambiente.

“Nosso objetivo é qualificar multiplicadores. Ensinamos as crianças e elas disseminam o que aprendem com os familiares, formando uma cadeia de boas condutas com o meio ambiente”, ressaltou.

Ações no interior 

No período de estiagem, o Comando de Bombeiros do Interior (CBI) atua na operação “Céu Limpo”, trabalhando na prevenção com educação ambiental e por meio de formação de brigadistas florestais para dar suporte às guarnições no interior no combate a incêndios florestais.

“Outras ações são o reforço  com material para combate do incêndio e também as guarnições que ficam de sobreaviso no caso de um grande incêndio florestal, principalmente na região sul”, destaca o comandante do CBI, major José Wilson.

Das ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros, 42 foram na região de Humaitá e 37 em Manaus. “Ficamos com pessoal pronto para atuar em qualquer lugar”, enfatiza.

https://www.acritica.com

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com