Canguru salvo de incêndio na Austrália não para de abraçar os voluntários em agradecimento

As vezes passamos a vida pensando no que precisamos, em nossas metas e objetivos, mas raramente paramos para fazer algo tão simples quanto agradecer. Parece um gesto sem importância, mas não há nada mais reconfortante do que fazer um favor a alguém e sentir que essa pessoa é grata a nós, isso apenas nos preenche.

E o mais interessante é que não é algo que apenas os seres humanos são capazes de transmitir, existem animais que não precisam conversar para nos informar tudo o que sentem . Há quem critique a proximidade que se pode ter com eles, mas, como diz a famosa frase: “quanto mais conheço as pessoas, mais amo os animais”.

São seres muito mais sinceros do que estamos acostumados, como essa canguru de treze anos de idade, que não para de abraçar seus socorristas.

O animal foi encontrado há dois meses e responde ao nome de Abigail, mas é mais conhecido como ‘Rainha Abi’. Este belo ser vivo passa o dia abraçando as pessoas que cuidam dela no Santuário Canguru , localizado em Alice Springs (Austrália). Abigail perdeu a mãe quando ela tinha apenas alguns meses e os voluntários decidiram cuidar da pequena Abi.

Na Austrália, acredita-se ter uma super povoação de cangurus. É por isso que a venda de carne desse animal é admitida e a exportação de produtos relacionados à espécie representa US $ 29 milhões por ano e cerca de 4.000 empregos no país da Oceania.

No entanto, os recentes incêndios que foram desencadeados na área e afetam a flora e a fauna , certamente reduzirão o número de espécimes vivos, portanto será necessário verificar novamente a quantidade para evitar a extinção. Felizmente, também há um bom número de voluntários preservando a vida dos cangurus e todos os tipos de espécies:

Quando eles perdem a mãe (porque são muito familiares), a vida dos cangurus corre alto risco. É por isso que o trabalho deste refúgio é ainda mais aplaudível, que não apenas fornece a comida e os cuidados de que precisam, mas também o amor.

O fundador do santuário (sem fins lucrativos), Chris Brolga, ficou motivado a criar o refúgio quando soube que o centro de saúde mais próximo do deserto ficava a 1500 km. Seu espaço possui 188 acres de terra e oferece passeios aos visitantes.

Obrigado por lhes dar uma segunda chance!

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

fonte:sabervivermais.com

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com