Cistite intersticial provoca dor forte e vontade constante de urinar

Cistite intersticial provoca dor forte e vontade constante de urinar   Notícias   R7 Saúde

Pacientes com o quadro vão muitas vezes ao banheiro para aliviar a dor

 

Cistite intersticial é um dos quadros que causa a síndrome da bexiga dolorosa, afirma o urologista Flávio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia.

O paciente com o quadro sente muita dor quando a bexiga enche e urina com muita frequência para aliviar a dor. “A pessoa fica de um jeito que não consegue trabalhar, se relacionar, nada”, afirma.

A doença acomete principalmente mulheres e aparece entre 30 e 40 anos. “Aproximadamente três quartos dos meus pacientes com a síndrome são mulheres”, afirma o urologista.

Segundo Trigo, não se sabe a causa da cistite, a teoria mais aceita é de que a camada impermeabilizante que protege a parede da bexiga da urina não é tão eficiente quanto deveria.

“Existe muita dúvida até em relação de qual o primeiro fator. Acredita-se que tem relação com uma infecção no trato urinário, que cura, mas que não para de doer”, explica.

O diagnóstico é feito por exclusão. “O mais importante é verificar se essa dor não tem outra causa, como endometriose ou uma infecção mesmo”, afirma.

Outro sintoma possível além da dor é o sangramento devido à distensão da bexiga. “Quando enche muito a bexiga, pode aparecer sangue na urina”, explica.

Além disso, muitos pacientes com a síndrome apresentam também depressão, mas não se sabe se é decorrente da dor crônica, ou se é a cistite intersticial que causa o quadro depressivo.

A doença não tem cura, mas os sintomas podem ser controlados. O tratamento consiste em uma associação de medicamentos: analgésico, anti-inflamatório, antidepressivo e polissulfato pentosano de sódio, comercializado como Elmiron.

“O antidepressivo não é utilizado para tratar a eventual depressão e sim para diminuir a capacidade de transmissão da dor. O Elmiron ajuda a reconstruir essa barreira entre a bexiga e urina”, explica.

O tratamento de seis meses a dois anos e é bem-sucedido em 80% dos casos. “Quando o tratamento clínico não é suficiente é necessário partir para tratamentos infecção urinaria mais agressivos para a dor envolvendo neurocirurgia”, orienta o especialista.

O médico afirma que em 10% dos casos de cistite intersticial a bexiga encolhe e é necessário passar por um procedimento cirúrgico para reverter a situação.

 

Fonte: noticias.r7.com

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com