Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano passa a administrar complexo de saúde da Zona Norte

Mudança vai representar uma economia de R$ 2,6 milhões/mês aos cofres do Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) assinou, nesta segunda-feira (25/3), contrato com o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) para administrar o Complexo da Zona Norte, que compreende o Hospital Delphina Aziz e a UPA Campos Sales.

Com isso, o INDSH passa a responder pelas duas unidades de saúde, cabendo à Susam fiscalizar os serviços prestados. Um ganho acontece de imediato: redução do custo das duas unidades para o Estado, de cerca de R$ 11 milhões por mês para R$ 8,4 milhões mensais.

“A nova administração vai permitir economias e maior eficiência na gestão do Complexo da Zona Norte. O instituto vai gerir os próprios recursos humanos, nos cabendo a fiscalização e a cobrança das metas de assistência estabelecidas em contrato. O Delphina será nosso grande hospital de retaguarda, esse é o nosso projeto, especializado em cirurgias’’, destaca o vice-governador e secretário de Saúde, Carlos Almeida.

Capacidade máxima até agosto – A meta do INDSH, firmada em contrato, é fazer o Hospital Delphina Aziz operar em sua plenitude até agosto, com a realização de um maior número de cirurgias, procedimentos e oferta de mais 170 leitos. Os avanços serão graduais, mês a mês, alcançando o ápice no início do segundo semestre.

O Hospital Delphina Aziz foi inaugurado em 2014 e apenas 30% de suas instalações são utilizadas desde então. Com o gerenciamento do INDSH, selecionado pelo Estado por intermédio de chamamento público, a quantidade de leitos em uso passará dos atuais 136 para 312, conforme contrato.

O INDSH é uma Organização Social de Saúde que administra instituições de saúde públicas e privadas. Foi criado em 1950, inicialmente como associação, à época responsável pelo Hospital e Maternidade Dr. Eugênio Gomes de Carvalho, em Pedro Leopoldo, Minas Gerais. Atualmente, está à frente de sete unidades de saúde no Estado do Pará, além de Paraná e Santa Catarina.

Referências – Equipe da Susam esteve no Pará para conhecer o trabalho do Instituto, nas unidades em que opera em Belém. No Estado vizinho, os técnicos também buscaram informações na secretaria estadual de Saúde. Na assinatura do contrato, na sede da Susam, o presidente do INDSH, José Carlos Rizoli, disse ao secretário Carlos Almeida que “espera voltar em breve à Manaus para comemorar resultados na nova unidade que o Instituto começa a administrar”.

Metas de atendimento – Pelo contrato, a reativação dos leitos e implantação de novos serviços acontecerá por etapas. Na primeira, a partir de abril, serão ativados todos os 50 leitos de UTI – dez deles foram inaugurados pelo governador Wilson Lima em fevereiro.

Também em abril, serão reabertas duas salas cirúrgicas, uma para procedimentos de emergência e outra para as cirurgias eletivas. A partir de maio serão abertos serviços ambulatoriais, como de urologia, ginecologia, além de mais salas de cirurgia.

Outro ganho para a população é que como o Instituto também fará a gestão da UPA Campos Sales, os profissionais dessa unidade fortalecerão outras do Estado, assim como poderão atuar no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), com o qual o Governo do Amazonas mantém convênio. Em breve, leitos do HUGV serão utilizados pela rede estadual para tratamento de pacientes em especialidades como urologia e ortopedia.

FOTOS: Divulgação

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com