Prefeitura de Manaus socorre Bosque da Ciência – INPA

Foi criado o Bosque da Ciência, em 1995. A ideia desse espaço público era simples: abrir as portas para a população e aproximar as pessoas da produção científica. E assim sempre foi. Anualmente, cerca de cem mil pessoas visitam o espaço.

Nesta semana fomos surpreendidos com a notícia de que apesar de todo esforço feito, Bosque da Ciência em Manaus não terá mais visitação pública. Isso se deu, porque de acordo com informações da coordenadora de Extensão do INPA, a pesquisadora Rita Mesquita, há uma necessidade de reformulação do funcionamento do Bosque da Ciência em função do reduzido quadro de servidores para fazer atendimento no espaço.

Para manutenção das atividades e cobertura dos mais de 20 atrativos, o bosque conta com o auxílio de estagiários curriculares (estágio obrigatório da Instituição de Ensino) de cursos técnicos e de graduação das áreas ambiental e de turismo, que variam conforme o período.

Além da falta de pessoas, pequenos atos de vandalismo têm acontecido no espaço. Logo, para tentar resguardar a integridade do bosque até que se tenha condições de funcionar com regularidade, as visitações abertas ao público estavam suspensas.

A entrada custa R$ 5, mas crianças, idosos e grupos escolares e sociais agendados não pagam. O valor arrecadado é depositado numa conta do governo Federal e não tem retornado para o bosque, que funciona de terça a domingo e às segundas-feiras é fechado para manutenção. O bosque recebeu no ano passado cerca de 100 mil visitantes, cerca de 70% de forma gratuita.

Então os motivos principais para o encerramento das atividades abertas ao público eram :

  • Falta de funcionários/estagiários;
  • Tentar resguardar o bosque de pequenos vandalismos, justamente por não ter tanta gente pra controlar os 13 hectares do Bosque;
  • Falta de recurso para contratar pessoas, uma vez que o Governo Federal não estava retornando o dinheiro do Bosque para o Bosque.
Bosque da Ciência – INPA

Bosque da Ciência – INPA

Logo que soube da notícia, o Prefeito de Manaus , Arthur Virgílio Neto, se pronunciou e decidiu socorrer financeiramente o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) para manter em funcionamento o Bosque da Ciência. Aqui considero um golaço do Prefeito Artur, isso porque o prefeito socorreu o Bosque da Ciência que é uma instituição ligada ao INPA que é ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia que é ligado ao Governo Federal, portanto, a Prefeitura é uma espécie de “primo pobre”, mas que ao ouvir um grito de socorro, estendeu a mão.

“A atitude que tomei foi para evitar que se fechassem para as visitações públicas ao Bosque da Ciência, que está sem condições para se manter”, disse o prefeito de Manaus, ao criticar o baixo orçamento do órgão federal.

“O orçamento do Inpa é de apenas R$ 3,5 milhões por ano, mas deveria ser de R$ 3,5 bilhões para nós, de fato, desenvolvermos nosso potencial econômico plenamente, a começar pelo uso da biodiversidade e pela construção da indústria de biotecnologia. Como está, o Brasil não vai a lugar nenhum. Vamos ficar estagnados como um país analógico e pararemos de sonhar com a tal economia 4.0”, reagiu Virgílio.

Na última quarta-feira, 10/7, o prefeito assinou uma Carta de Intenção com as ações emergenciais para manter aberto o espaço, que contará com estagiários e bolsistas cedidos pelo município para recepcionar os visitantes, entre outras atividades.

“A atitude que tomei foi para evitar que se fechassem para as visitações públicas ao Bosque da Ciência”, disse o prefeito de Manaus.

“A atitude que tomei foi para evitar que se fechassem para as visitações públicas ao Bosque da Ciência”, disse o prefeito de Manaus.

Ontem, no sábado, 13/7, o prefeito Arthur Virgílio Neto prestigiou a reabertura ao público do Bosque da Ciência.

“Enquanto eu for prefeito de Manaus, lutarei para deixar de pé o Bosque da Ciência. Ele é bom para estudantes, é bom para turistas, para estudiosos e pesquisadores. Ele faz parte desse grande manancial de sabedoria que é o Inpa”, disse Arthur, que destacou a necessidade de o espaço receber esforços e parcerias em prol de seu funcionamento.

“Nós gostaríamos muito que o Inpa recebesse reforço em seu orçamento. A prefeitura viabiliza estagiários que já chegaram e hoje aqui se apresentaram. Além disso, estamos custeando um estudo de viabilidade econômica em caso de uma eventual e futura terceirização do parque”.

Com visita do prefeito Arthur Neto, Bosque da Ciência reabre suas portas ao público / Foto : Divulgação

Com visita do prefeito Arthur Neto, Bosque da Ciência reabre suas portas ao público / Foto : Divulgação

A medida é paliativa, mas a instituição informou que continuará buscando parcerias c e que a terceirização do bosque não está descartada.

Se você ainda não conhece o Bosque da Ciência, corra porque é um local de rica biodiversidade,embora a Floresta seja fechada é cortada por trilhas urbanizadas. Animais silvestres circulam tranquilamente pelo local e, se você tiver sorte, pode ver pacas, macacos, capivaras e preguiças. Bichos resgatados, como peixe-boi e ariranha, podem ser observados dentro de seus tanques.

Ressalto meus parabéns ao prefeito Arthur Virgílio Neto por neste momento em que o Bosque da Ciência corria o risco de fechar as portas para a população, e o socorreu com remanejamento de estagiários municipais, além de apoio financeiro para manter a instituição de pé e de portas abertas para o povo. Espero que o Governo Federal olhe com melhores olhos para nossos Institutos de Pesquisas da Amazônia, como o INPA, INSTITUTO MAMIRAUÁ, o CBA Centro de Biotecnologia da Amazônia, e que faça parceria e apoie toda a rede que compõe a ABio, formada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz Amazônia), Centro de Educação Tecnológica do Estado do Amazonas (Cetam), Fundação Paulo Feitoza (FPF), Universidade Nilton Lins (UniNiltonlins), Rede de Inovação e Empreendedorismo da Amazônia (Rami), Associação BioTec-Amazônia, Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) e Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia legal (Bionorte).

Bosque da Ciência - INPA / Foto: Eder Ribeiro / Manaus Ágil

Bosque da Ciência – INPA / Foto: Eder Ribeiro / Manaus Ágil

Bosque da Ciência
End: Av. Otávio Cabral, s/n – Aleixo
Tel: 92 3643-3192/ 3643-3312/3643-3293
Ingresso: R$ 5. Crianças até 10 anos e idosos com mais de 60 não pagam.
Visitação: Terça a quinta: 9h às 12h e de 14h às 16h
Sábados, domingos e feriado: 9h às 16h

 

fonte: marcuspessoa

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com