Sema realiza encontro para construção de acordo de pesca em Canutama

Sema realiza encontro para construção de acordo de pesca em Canutama

Além do trabalho do Núcleo de Pesca, a equipe do programa Agente Ambiental Voluntário (AAV) da Sema visitou mais 20 comunidades para sensibilização dos comunitários sobre o programa

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) realizou, até este sábado (30/11), uma série de ações de sensibilização sobre o programa Agente Ambiental Voluntário (AAV) e reuniões para construção do acordo de pesca da Reserva Extrativista (Resex) e Floresta Estadual (FLOE) Canutama, unidades de conservação localizadas no município de Canutama (a 619 quilômetros de Manaus). As atividades fazem parte das ações do Programa Paisagens Sustentáveis da Amazônia.

Os encontros para validação dos acordos de pesca foram realizados nas comunidades de Foz de Tapauá e Vila Souza, ambas no município de Canutama. Cerca de 130 ribeirinhos participaram da reunião, que tem por objetivo realizar o ordenamento pesqueiro na região, além de contribuir com a preservação, manutenção e comercialização de peixes. Além do trabalho do Núcleo de Pesca, a equipe do programa Agente Ambiental Voluntário (AAV) da Sema visitou mais 20 comunidades para sensibilização dos comunitários sobre o programa. A previsão é que a iniciativa seja implementada na região em março de 2020.

De acordo com a assessora do Núcleo de Pesca (Nupes) da Sema, Larissa França, as reuniões são uma das etapas para finalização do acordo de pesca na região. “O acordo é um instrumento para ordenamento pesqueiro, definindo regras para a atividade de modo a garantir tanto renda para estas populações como a manutenção do estoque pesqueiro. Além disso, é importante ressaltar que ele é criado de maneira participativa, ouvindo as comunidades”, explicou.

As equipes também reforçaram a campanha do Período de Defeso, coordenada pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), das espécies Pirapitinga, Caparari, Aruanã, Mapará, Sardinha, Surubim, Tambaqui, Pirarucu, Matrinxã e Pacu – que estão proibidas de serem pescadas com fins comerciais até o dia 11 de março de 2020.

Programa Agentes Ambientais Voluntários

A agenda contou também com a participação da Comissão Pastoral da Terra. De acordo com o coordenador do programa AAV, da Sema, Abraham Benayon, o objetivo é conscientizar os ribeirinhos sobre os cuidados com o meio ambiente. ”Este é um dos contatos iniciais para explicar a importância do AAV e de mostrar que eles podem ser protagonistas nas ações de defesa e preservação da floresta”, destacou.

(Foto: Divulgação / Sema)

Fonte: www.acritica.com

Continue lendo

Comentários no Facebook

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com