Sindicato levanta suspeitas sobre possível erro médico

O Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil do Estado de Rondônia (Sticcero) divulgou nota neste sábado levantando graves suspeitas contra o médico Alexandre Brito, do Hospital Ameron/Panamericano em Porto Velho, acusando possível erro médico que teria levado à morte o sindicalista Francielio Silva, conhecido por Hélio. Seu corpo foi sepultado neste sábado.

A nota divulgada pelo Sticcero  foi elaborada pela assessoria de imprensa do Sindicato:

Confira a íntegra

Sindicalista pode ter sido vítima de erro médico

O corpo do sindicalista Francielio Silva, conhecido por Hélio, foi sepultado na manhã deste sábado (9), no Cemitério de Santo Antônio, sob revolta de familiares e amigos. 

Hélio gozava de plena saúde e tinha excesso de peso, razão pela qual submeteu-se a uma cirurgia bariátrica com o médico Alexandre Brito, no Hospital Panamericano, pelo convênio da Ameron. Ocorre que no mesmo dia da operação, Hélio foi transferido para um quarto e sentiu-se mal. O médico, segundo familiares, resolveram levá-lo mais uma vez para a sala de cirurgia para novo procedimento cirúrgico. Do centro cirúrgico, Hélio foi para a UTI. Só que o mesmo continuava passando mal e outra cirurgia foi realizada. A partir da terceira intervenção cirúrgica, o sindicalista teve seu quadro de saúde agravado e nesta sexta-feira (8) faleceu.

Durante o velório, os amigos ao tomarem conhecimento da causa morte de Hélio ficaram revoltados. O clima foi de revolta contra o médico Alexandre Brito, pois os familiares e amigos entendem que há suspeita de erro médico na cirurgia bariátrica. ” Alexandre Brito não deve ser médico. É um açougueiro! Ele é acusado de várias mortes em nossa cidade. Providência nenhuma foi tomada por parte das autoridades. Perdemos um grande profissional e um sindicalista atuante e que vinha contribuindo com o progresso e o desenvolvimento de Rondônia”, disse José Silva, trabalhador na construção da Usina de Santo Antônio, onde Hélio trabalhava em operação de guindaste.

Médico Alexandre Brito 

A doméstica Maria de Fátima, amiga da família de Hélio, disse que na UTI do mesmo hospital tem uma mulher entre a vida e a morte, que foi submetida ao mesmo procedimento cirúrgico do Hélio e não há garantia que venha sobreviver. “Após a morte do amigo Hélio, tomei conhecimento que existem vários processos contra essa pessoa que se diz médico. Não tenho certeza, mas creio que ele deve ter comprado o diploma de médico. Muitos pacientes desse médico  morreram.Tem o caso de uma mulher que faz parte do folclórico da medicina rondoniense. Mesmo assim, Alexandre Brito continua exercendo a profissão”, denunciou Fátima.

O sindicalista Eucrides Queiroz, presidente da Associação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil do Estado de Rondônia (Asatracociro), indignado e revoltado com a morte do amigo Hélio, afirmou que o Ministério Público do Estado de Rondônia (MPE/RO) e o Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) deveriam abrir investigação para apurar a morte do membro do Conselho Fiscal do Sticcero. “Não podemos ficar calados e omissos diante dessa morte. Estamos tomando conhecimento de vários procedimentos cirúrgicos realizados pelo médico Alexandre Brito e que culminou com morte do paciente. Vamos protestar por todos os meios, inclusive com manifestação em frente ao hospital Panamericano, de propriedade de seu pai, médico Paulo”, afirmou Queiroz.

A reportagem tentou contato com o médico Alexandre Brito, no Hospital Panamericano e a portaria informou que ele não estaria atendendo neste sábado e que não poderia informar o número do telefone, para que o médico possa se pronunciar sobre a morte do sindicalista Hélio.

No Cremero e no MPE/RO não tem expediente e, consequentemente, os familiares do sindicalista não puderam registrar ocorrência para apurar o que de fato ocorreu no processo cirúrgico de Hélio. “Vamos buscar Justiça a partir da próxima segunda-feira. Não vamos admitir que esse cidadão continue matando e ficando impune. Tem muita gente que, no velório e sepultamento, declararam que o citado médico é suspeito de cometer erros em cirurgias e várias mortes ocorreram”, destacou João Santos, ex-colega de trabalho de Hélio na construção da Usina de Santo Antônio“.

Autoria e fonte: Assessoria/Sticcero

Barrancas Seu Portal de Noticias

Avalie esta postagem

MAIS RECENTES

Autor: Direto da Redação

Recomendadas para você

Comentários no Facebook

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com